Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Mais sobre mim

foto do autor


TRADUTOR/TRADITOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified translator

ORA A HORA



Comentários recentes


Favoritos


subscrever feeds



Mensagem de Boas Vindas

Este blogue é feito por Amigos para Amigos, porque a Amizade é uma das melhores coisas da vida. Quem vier por bem será bem acolhido. Sejam bem vindos!

Cheira bem, cheira a Lisboa

por Henrique Antunes Ferreira, em 09.01.16

almeidas.jpg

 

Antes era almeida da Câmara, hoje chamam-lhe encarregado de executar a limpeza pública, também do município. Antes dele, limpava as ruas da cidade um ucraniano, professor secundário em Kiev. As voltas que a vida dá. O cidadão nascera na Crimeia mas a maldita guerra por ordem de Putin dera-lhe com os burrinhos na água. Viera para Lisboa, fora o diabo para conseguir a equivalência, enquanto ia aprendendo o Português. Os eslavos e correlativos têm uma aptidão natural para as línguas latinas, incluindo o idioma lusitano.

 

Ao fim de tantas trocas e baldrocas conseguira entrar no pessoal camarário; esperava ser mais um administrativo, tinha o décimo primeiro, mas colocaram-no da Direcção da Manutenção da Limpeza Pública. Raio de sorte!, mas ao menos não era um desempregado, entre os muitos milhares que estavam nessa situação. A Segurança Social era uma treta, um embuste, uma desilusão. O cunhado Jaquim, auxiliar de ajudante de praticante da recolha de cães e outros animais vadios (há muitos…), metera uma cunha na Gestão de Pessoal e fora chamado.

 

caca.jpg

 

Deram-lhe um colete laranja, uma vassoura e um carrinho com dois contentores tipo bidon para depositar os diversos lixos, desde as folhas das árvores outonais até à caca de cão espalhada pelos passeios e arredores. Os donos é que tinham a culpa. No vídeo que tinham passado na curtíssima acção de formação, via-se um sujeito passeando o seu cachorro com um saquinho e uma luva de protecção a apanhar a trampa deixada pelo canídio. Pela pinta via-se logo que era um estrangeiro, aliás um cidadão da União Europeia, talvez mesmo um alemão.

 

Por cá era o que se via – o que ele via e viam mais de mil pessoas, no mínimo, que todos os dias faziam rallies no empedrado para evitarem uma pisadela mal cheirosa. Então no Bairro das Colónias (que nunca passara a Bairro das Províncias Ultramarinas, quiçá um lamentável descuido dos tipos da toponímia, seguidores de Pass…, oops, Salazar) era um fartote. Não havia um centímetro quadrado que não tivesse sido objecto da descarga dos intestinos dos perros. Maldizia a sorte que lhe tinha calhado.

 

camiao.jpg

 

Uma manhã quando pegava ao serviço, o senhor engenheiro chamara-o de parte e dera-lhe um aparelhómetro explicando que era um aspirador industrial especialmente destinado a apanhar a sujidade das avenidas, ruas, travessas, becos  e rotundas. Lá se foi ajeitando ao “animal mecânico”. E até decidiu tirar a carta de condução, não de viaturas ligeiras, pesadas e motociclos, mas de aspirador industrial  para deixar as artérias pulcras. Assim pensou, assim fez; dirigiu-se ao seu director e expôs-lhe a intenção, que desse modo podia melhorar a produção da máquina, o que daria como resultado uma cidade airosa, limpa e... bem cheirosa. O engenheiro lembrou-se imediatamente do Cheira bem, cheira a Lisboa e autorizou-o.  Um dia ainda vai chegar a motorista de camião do lixo.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


TRADUTOR/TRADITOR

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified translator

ORA A HORA



Comentários recentes


Favoritos


subscrever feeds