Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mais sobre mim

foto do autor


Comentários recentes

  • Anónimo

    MELHOR CASTELO DE CASO DE AMOR ONLINE PARA OBTER S...

  • Maria Beatriz de Bragança

    Amigo HenriqueDe há uns tempos a esta parte, muito...

  • Maria Beatriz Santos

    Olá, HenriqueE era uma vez um pintor, que começou ...

  • Anónimo

    Pois, enfim ...que se há dizer da má educação?São

  • Kok

    Pronto, eis-me chegado à travessa sem nada atraves...


Favoritos




Mensagem de Boas Vindas

Este blogue é feito por Amigos para Amigos, porque a Amizade é uma das melhores coisas da vida. Quem vier por bem será bem acolhido. Sejam bem vindos!

As "perigosas" gralhas de Goa

por Henrique Antunes Ferreira, em 05.02.16

 

gralhas 6.jpg

 

De acordo com os dados da Estatística da Índia, o país tem cerca de um bilião e 200 milhões de habitantes; maior só a China com um bilião e 300 bocas. Coisas pequenas; se comparadas com Portugal com os seus nove milhões ou cerca, o nosso país é apenas uma cagadela de mosca - sem desprimor para estes insectos voadores e muito chatos e muitíssimo sujos. Ocorre-me o exemplo chinês onde foi decretado pelo Partido Comunista que todos os camaradas tinham de matar todas as moscas num raio de 500 metros das respectivas habitações, nas fábricas, escolas e no campo sob pena de serem executdos com um tiro na nuca e a bala paga pela família. Resultado: adeus moscas. Não sei sinceramente se a imposição se mantém..

 

Aqui na Índia e concumitentemente em Goa as moscas continuam em liberdade e são aos biliões de biliões: Mas ponho de parte a eliminação dos insectos - tarefa impossívél, excepuado o Império do Meio - e dedico-me às gralhas que são, não tenho dúvidas, mais do que os indianos, como pude contastar quando vim entrevistar para o DN a Senhora Indira Gandhi e dei uma volta ao aubcontinente. Claro que em Goa acontece o mesmo: os pássaros negros volteiam e grasnam de uma forma impressionante. São tantos que até uma árvore, a banion tree, se chama por cá árvore das gralhas.

 

Na varanda do apartamento que desde há três anos habito, pousam sem fazer cerimónia a toda a hora do dia milhentas gralhas que se possível e até impossível roubam tudo, desde molas da roupa mais coloridas até batatas fritas e outros aperitivos mas sem nunca tocar nos cajus. Creio que se trata de solidariedade com os frutos originais da terra. Se apanham uma jóia, incluindo os pechibeques aí a voracidade é total, basta deixa-la à mostra e num raid velocíssimo, ai Deus que voou tal como a rapinante.

gralhas 2.jpg

 

Estas gatunas há-as por todo Mundo, mas na índia e naturalmente em Goa são demais... À noite antes de voltarem a casa e fazerem a contabilidade do fruto do seu "trabalho" a chilriada é ensurdecedora com os décibeis transmudados para milinecibéis. Surge então um silêncio ensurdecidor. Mas quem pense que é o final do recital, desengane-se: é apenas o intervalo entre o primeiro e o segundo acto da orquestra metropolitana, aliás, gralhiana, de Goa e arredores. Os goeses já estão habituados às aves e estão-se marimbando para elas. Fazem parte da indiossincrasia do estado.

tigre.jpg

 

Um dia, em Lisboa, alguém que sabia do meu amor por Goa e não era um 20 em sapiência perguntou-me: Ó pá a terra não é perigosa? Dizem que há tigres pelas ruas e isso é o diabo; apesar de tudo o que tens escrito vou desistir da viagem que tinha preparado a Goa!... Face à pergunta inusitada e inesperade disse-lhe: se ainda te decidires a ir leva uma espingarde calibre 18; mas talvez possas usar uma basuca, que é mais maneirinha e tem uma enomíssimo efeito. No entanto é conveniente que ainda saibas que nas retretes há crocodilos e tubarões e das torneiras saem cobras de água. O homem, além de burro como sempre fora, estava acagaçado.

 

Mas tu aguentas-e por lá. Como? Desfechei-lhe, com pundonor e muita valentia: acredita: vou sempre desarmado, claro que uso a minha faca de mato que trouxe da tropa, mas para não dar muito nas vistas e não escandalizar os goeses coloco-a cuidadosamente no cinto por baixo da camisa, além disso trago sempre no bloso um corta-unhas para o que der e vier. Sabes que um homem precavido é muito melhor do que dois desinformados. A vida é madrasta, mas de quando em quando tem coisas menos más... Um outro sujeito que assistia à conversa estuporada disse que concordava comigo (pudera era meu amigo e colega desde os bancos a escola primária) acrescentou e ainda faltavam as baleias nas banheiras o que é muito inconveniente e se apareciam as piranhas aí é que era uma porra! Nenhum de nós mencionou as gralhas - mas devíamos tê-lo feito. Elas são muito "perigosas", mas por enquanto não comem criancinhas - goesas...

Autoria e outros dados (tags, etc)


17 comentários

Sem imagem de perfil

De Agostinho a 08.02.2016 às 22:14

Falas de gralhas de Goa. Em abundância como tudo o que nessa terra existe. Mas por cá nem imaginas a gralharia que se alevantou com OE16. E não há ddt que as mirre.
Gostei da escrita mas mais da anterior, que não comentei, por andar na mó de baixo, a aguentar com o milho a ser esmagado pela pedra de cima. Mas estou a voltar à forma habitual (o diabo seja surdo e mudo).
Abraço para o Leãozão e esposa Raquel.
PS - lá porque os rapazes empataram (vi há bocado) não vale a pena esmoreceres.
Imagem de perfil

De Henrique Antunes Ferreira a 10.02.2016 às 18:01

Agostinhamigo

Há gralhas por todo o Mundo. Por que bulas não as haveria em Portugal...

Obrigado pela tua opinião sincera
Abç do Leãozão

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor


Comentários recentes

  • Anónimo

    MELHOR CASTELO DE CASO DE AMOR ONLINE PARA OBTER S...

  • Maria Beatriz de Bragança

    Amigo HenriqueDe há uns tempos a esta parte, muito...

  • Maria Beatriz Santos

    Olá, HenriqueE era uma vez um pintor, que começou ...

  • Anónimo

    Pois, enfim ...que se há dizer da má educação?São

  • Kok

    Pronto, eis-me chegado à travessa sem nada atraves...


Favoritos