Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mais sobre mim

foto do autor


Comentários recentes


Favoritos


subscrever feeds



Mensagem de Boas Vindas

Este blogue é feito por Amigos para Amigos, porque a Amizade é uma das melhores coisas da vida. Quem vier por bem será bem acolhido. Sejam bem vindos!

O Menino e o Benfica

por Henrique Antunes Ferreira, em 24.12.15

  

bruno.jpg

 

No domingo tinha visto na televisão o que julgava ser o último desastre do Sporting de Jorge Jesus: na Madeira o União pregou 1 – 0 aos lagartos. Uns dias atrás registara-se na Pedreira, Braga 4 – rival 3. Agora é a Doyen que quer papar 12 milhões ao clube e até no handebol levaram seis de diferença contra o FêCêPê. Uma semana horribilis para o B. de C. Arre porra, que é demais. Um gânglio basal do meu cérebro faz com que eu pule de alegria: como já compreenderam sou benfiquista até à derradeira gota de sangue, Policarpo Eusébio, casado, um par de rebentos e – e bom chefe de família, nos tempos salazarentos dizia-se assim.

 

Acho que o Orelhas, oops, o Luís Filipe Vieira é o maior do mundo dos presidentes dos clubes do chuto na canela (Falam os insidiosos e ingratos nuns pneus com pó branco dentro que há anos comercializou, deixá-los falá-los); também tenho a certeza de que o Rui Costa anda muito apagado mas vai arrebitar e que o Rui Vitória (a quem alguns mal-intencionados ali das bandas da casa de banho da Catedral dizem que mudou de nome e agora é só Rui) que se ponha a pau… Ele vai-se safando, mas os assobios…

 

Curiosamente amanhã é o dia de Natal (mau, começam já as confusões do costume originadas pela pergunta: o Natal

ortodoxos.jpg

 

dos Ortodoxos é o mesmo do dos Católicos?) Ora bem convém-me explicar, se for capaz disso, o que realmente se passa. Milhões de cristãos ortodoxos celebram o Natal no dia sete do Janeiro que se avizinha. Mas todos os cristãos recordam a Natividade a 25 de Dezembro, ou seja amanhã. Essa agora, que raio de situação: dois dias diferentes são… o mesmo dia?

 

O culpado desta aparente divergência é o calendário, ou os calendários. Com a breca; dizem os ortodoxos que não há um Natal atrasado. Aceitemos, porque na matemática, pasme-se, dois mais dois são quatro, mas também podem ser cinco… Nunca gramei a desgraçada matemática, por isso não percebo puto dela. Adiante que aritmética e essas coisas não são para aqui chamadas. Diz quem sabe que a explicação é simples: a Igreja Ortodoxa nunca aceitou a reforma do calendário feita em 1582 pelo papa Gregório XIII (que, mais papista que o papa, Portugal adoptou imediatamente) e continuou utilizando o até então calendário Juliano, enquanto o mundo ocidental passou gradualmente a utilizar o calendário Gregoriano. Daí que pareça ser verdade: são os dois o mesmo dia. Por mim – passo.

 

bacalhau 2.jpg

 

Posto isto, o olfacto diz-me que vem da cozinha um aroma composto de muitos cheiros. Já estão a cozer as batatas, as couves pencas, os brócolos e os ovos e obviamente o bacalhau. Já se cortam a cebola o alho e os coentros (cá em casa ninguém topa a salsa). Há outros acepipes para os que odeiam o ex- fiel amigo. E há as filhós, os coscorões, as azevias, os sonhos de abóbora e sem, o bolo-rei e até o mesmo, mas rainha. A árvore, ao canto da sala, já cintila e no presépio armado em cima da cristaleira ainda não chegaram os Reis Magos, ainda que  a Estrela pisque gloriosamente.

 

arvore.jpg

 

Batem à porta, é o Chico Gordo, tão ferrenho como eu, com um cachecol vermelho e um saco de garrafas. A esposa vem albardada  com um bolo de bolachas e mais uns comes. Vêm da casa deles e trás atrelada a família. Boas festas e trálaralará. O caçula perdeu a chupeta e berra que nem quando os nossos metem mais uma batata. Cala-se perante a árvore de plástico made in China engalanada, quer deitar a mão às bolas, às luzes e às estrelas, todas ao mesmo tempo, mas a Elvira-mãe diz-lhe que isso não se faz.

 

O puto que tem três anos não lhe liga peva torna a avançar. O Chico perde a calma – este gajo fez-me doer a tola durante todo o dia – dá-lhe uma lambada (pequena) e o miúdo recomeça a berrar, quero, quero, quero. Da sala de jantar vem outro brado, todos prá mesa!!!.  O pessoal desloca-se para apreciar os manjares, dar-lhes uma olhadela e comer. A bebida é muito importante. Há um tinto reserva de Esremôs, há um branco da adega cooperativa de Pias. Um rosé Muralhas e digestivos: uisque da Irlanda do Norte Bushmills, gin Gordons, teqilla Serrana, porto Dona Maria, cachaça Tiradentes e outras indiscriminadas. Só da descrição um homem fica bêbadíssimo... O gaiafo não come bacalhau, nunca bebeu "alcoois"; fica-se por Ice tea, light, por mor do açúcar que estraga os dentes e outras maroteiras e enfarda almôndegas com esparguete. A vida é dura e enclacrada logo aos três anos...

 

MENINO JESUS.jpg

 

No presépio montado em redor da árvore de Natal, ideia da minha filha Becas, com a ajuda do tipo que vive com ela, o namorido Valentim, estão a chegar osTrês Magos. Belchior, Baltasar e Gaspar, com os respectivos camelos (ai tantos que há por aí...) e os pastores ajoelhados rodeadosde ovelhinhas. Por cima paia um anjo, pendurado por um fio de nylon  num ramo da árvore, a fingir que está a  pairar. A Estrela que orienta os visitantes tm uma lampada dentro nem precisa de GPS. A Senhora, José, o pai (?) da criança. não está lé o Espirito Santo que o Salgado já saiu da gaiola. Salvo pequenas diferenças os presépios são tos iguais. O Menino deitado nas palhinhas da manjedoura sorri em barro. E penso para mim próprio que ele deve ser do Glorioso.

 ___________

 

NE - O textículo acima diz bem da categoria indesmentível e incontornável do autor: ele até é sprtnguista!!!...  

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Agostinho a 27.12.2015 às 11:56

Ora bem, pela descrição percebi a movimentação na área intensa pelo que o resultado foi a contento. Só não percebi a introdução de assuntos confusos por um encarnado, algum diabo vermelho, mal intencionado. Nas entrelinhas há um resumido e sumiço, histórico: o leão substituído, da noite para o dia, por um lagartaxo. Tudo como dantes, quartel-general em Abrantes: chegado o Natal dá sempre uma tremideira danada lá prás bandas de Alvalade; mesmo com Jesus no presépio a tradição cumpre-se. Será que começaram a beber antes de tempo? Assim, em vez de consoada a malta fica-se desconsolada.
Fora o árbitro que o jogo é um jogo. O que interessa mesmo é a noite de Natal na Casa de HAF, sita na travessa do Ferreira. Tudo a preceito! Bacalhau do legítimo, doces de perder o tino e com a variedade farmacológica descrita de estalo não há dor que entre em gente que se aguente.
Bem esgalhada, Leãozão! Boas Festas e saúde para todo o clã.

PS - quanto à "supranumeraridade" ficou-se em águas de bacalhau. Demolhou-se tanto por estes dias que algum terá sido deitado fora com a água.
Imagem de perfil

De Henrique Antunes Ferreira a 27.12.2015 às 19:10

Agostinhamigo

Escriba é escriba e tem liberdade de encarnar os encarnados, oops, vermelhos (no tempo salazarento só se podia usar o primeiro termo porque o segundo era igual a comunistas…) mesmo sendo de sinal contrário. Tome-se o exemplo da bandeira nacional e da selecção.

Isso não quer (e não pode) dizer que o leão foi substituído por um lagartaxo, palavra, aliás, que não existe, de acordo com a 50ª edição do Prontuário Ortográfico e Guia da Língua Portuguesa da autoria de Magnus Bergstrom e Neves Reis. Essa do Natal e da desconsolada é mesquinha, torpe e insidiosa. No final da liga seguem-se as cuequin… oops é que farão-se contas e logo verá-se.., De resto e como muito bem disse o João Pinto antigo defesa do FêPêCê e em defesa no seu bom nome “previsões só no fim do jogo…”


Aliás lamento que mistures alhos com bugalhos: o HAF não nada que ver com a estória supramencionada. Para já –já não mora na Travessa do Ferreiro, mas sim na Rua José da Costa Pedreira, o que pode ser atestado pela Junta da Freguesia do Lumiar – depois porque o dito cujo não tem qualquer amigo chamado Chico Gordo casado com uma Etelvina, e muito mais.

Árbitro? Isso é com o Pedro Proença e o Vítor Pereira, lavo daí as minhas mãos pilatosionicamente e Jesus dizem que foi crucificado e ao terceiro dia ressuscitou dos mortos; o Jorge continua vivo e ainda vai dar aos leões muitas algumas alegrias.

Resta-me agradecer-te o bem esgalhado e dizer-te que há por aí muito supranumerário e vivem infelizes e descontentes

Um tanto atrasadas – Boas Festas no sítio do costume e, já agora, feliz Ano Novo, alegre Carnaval e santa Páscoa.

Abç do Leãozão
Sem imagem de perfil

De Agostinho a 27.12.2015 às 21:19

Assim é qu'é falar sem tropeços nem adereços. Para isso não há como seguir o Prontuário/DN dos teus amigos. Quanto ao verde anda desmaiado... e nem se pode dizer que seja da chuva.
Boas entradas onde quer que seja, a pagar ou de borla, tanto faz, desde que sejam boas. Um bom Ano 2016.
Abraço
Imagem de perfil

De Henrique Antunes Ferreira a 27.12.2015 às 23:27

Agostinhamigo

Olha que não, Agostinhamigo, olha que não... As boas entradas (a pés juntos) devem ser respeitadas onde quer que sejam ou estejam... O Prontuário foi de princípio editado pela empresa que era proprietária do DN, a ENP (Empresa Nacional de Publicidade) privada que viria a ser nacionalizada e reprivatizada... Um pouco como as voltinhas minhotas...

Quanto ao verde andar desmaiado, só desmaia quem quer ou quem pode. Os leões - nunca!

Boas entradas

Leãozão

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.




Mais sobre mim

foto do autor


Comentários recentes


Favoritos


subscrever feeds