Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mais sobre mim

foto do autor


Comentários recentes


Favoritos


subscrever feeds



Mensagem de Boas Vindas

Este blogue é feito por Amigos para Amigos, porque a Amizade é uma das melhores coisas da vida. Quem vier por bem será bem acolhido. Sejam bem vindos!

O Menino e o Benfica

por Henrique Antunes Ferreira, em 24.12.15

  

bruno.jpg

 

No domingo tinha visto na televisão o que julgava ser o último desastre do Sporting de Jorge Jesus: na Madeira o União pregou 1 – 0 aos lagartos. Uns dias atrás registara-se na Pedreira, Braga 4 – rival 3. Agora é a Doyen que quer papar 12 milhões ao clube e até no handebol levaram seis de diferença contra o FêCêPê. Uma semana horribilis para o B. de C. Arre porra, que é demais. Um gânglio basal do meu cérebro faz com que eu pule de alegria: como já compreenderam sou benfiquista até à derradeira gota de sangue, Policarpo Eusébio, casado, um par de rebentos e – e bom chefe de família, nos tempos salazarentos dizia-se assim.

 

Acho que o Orelhas, oops, o Luís Filipe Vieira é o maior do mundo dos presidentes dos clubes do chuto na canela (Falam os insidiosos e ingratos nuns pneus com pó branco dentro que há anos comercializou, deixá-los falá-los); também tenho a certeza de que o Rui Costa anda muito apagado mas vai arrebitar e que o Rui Vitória (a quem alguns mal-intencionados ali das bandas da casa de banho da Catedral dizem que mudou de nome e agora é só Rui) que se ponha a pau… Ele vai-se safando, mas os assobios…

 

Curiosamente amanhã é o dia de Natal (mau, começam já as confusões do costume originadas pela pergunta: o Natal

ortodoxos.jpg

 

dos Ortodoxos é o mesmo do dos Católicos?) Ora bem convém-me explicar, se for capaz disso, o que realmente se passa. Milhões de cristãos ortodoxos celebram o Natal no dia sete do Janeiro que se avizinha. Mas todos os cristãos recordam a Natividade a 25 de Dezembro, ou seja amanhã. Essa agora, que raio de situação: dois dias diferentes são… o mesmo dia?

 

O culpado desta aparente divergência é o calendário, ou os calendários. Com a breca; dizem os ortodoxos que não há um Natal atrasado. Aceitemos, porque na matemática, pasme-se, dois mais dois são quatro, mas também podem ser cinco… Nunca gramei a desgraçada matemática, por isso não percebo puto dela. Adiante que aritmética e essas coisas não são para aqui chamadas. Diz quem sabe que a explicação é simples: a Igreja Ortodoxa nunca aceitou a reforma do calendário feita em 1582 pelo papa Gregório XIII (que, mais papista que o papa, Portugal adoptou imediatamente) e continuou utilizando o até então calendário Juliano, enquanto o mundo ocidental passou gradualmente a utilizar o calendário Gregoriano. Daí que pareça ser verdade: são os dois o mesmo dia. Por mim – passo.

 

bacalhau 2.jpg

 

Posto isto, o olfacto diz-me que vem da cozinha um aroma composto de muitos cheiros. Já estão a cozer as batatas, as couves pencas, os brócolos e os ovos e obviamente o bacalhau. Já se cortam a cebola o alho e os coentros (cá em casa ninguém topa a salsa). Há outros acepipes para os que odeiam o ex- fiel amigo. E há as filhós, os coscorões, as azevias, os sonhos de abóbora e sem, o bolo-rei e até o mesmo, mas rainha. A árvore, ao canto da sala, já cintila e no presépio armado em cima da cristaleira ainda não chegaram os Reis Magos, ainda que  a Estrela pisque gloriosamente.

 

arvore.jpg

 

Batem à porta, é o Chico Gordo, tão ferrenho como eu, com um cachecol vermelho e um saco de garrafas. A esposa vem albardada  com um bolo de bolachas e mais uns comes. Vêm da casa deles e trás atrelada a família. Boas festas e trálaralará. O caçula perdeu a chupeta e berra que nem quando os nossos metem mais uma batata. Cala-se perante a árvore de plástico made in China engalanada, quer deitar a mão às bolas, às luzes e às estrelas, todas ao mesmo tempo, mas a Elvira-mãe diz-lhe que isso não se faz.

 

O puto que tem três anos não lhe liga peva torna a avançar. O Chico perde a calma – este gajo fez-me doer a tola durante todo o dia – dá-lhe uma lambada (pequena) e o miúdo recomeça a berrar, quero, quero, quero. Da sala de jantar vem outro brado, todos prá mesa!!!.  O pessoal desloca-se para apreciar os manjares, dar-lhes uma olhadela e comer. A bebida é muito importante. Há um tinto reserva de Esremôs, há um branco da adega cooperativa de Pias. Um rosé Muralhas e digestivos: uisque da Irlanda do Norte Bushmills, gin Gordons, teqilla Serrana, porto Dona Maria, cachaça Tiradentes e outras indiscriminadas. Só da descrição um homem fica bêbadíssimo... O gaiafo não come bacalhau, nunca bebeu "alcoois"; fica-se por Ice tea, light, por mor do açúcar que estraga os dentes e outras maroteiras e enfarda almôndegas com esparguete. A vida é dura e enclacrada logo aos três anos...

 

MENINO JESUS.jpg

 

No presépio montado em redor da árvore de Natal, ideia da minha filha Becas, com a ajuda do tipo que vive com ela, o namorido Valentim, estão a chegar osTrês Magos. Belchior, Baltasar e Gaspar, com os respectivos camelos (ai tantos que há por aí...) e os pastores ajoelhados rodeadosde ovelhinhas. Por cima paia um anjo, pendurado por um fio de nylon  num ramo da árvore, a fingir que está a  pairar. A Estrela que orienta os visitantes tm uma lampada dentro nem precisa de GPS. A Senhora, José, o pai (?) da criança. não está lé o Espirito Santo que o Salgado já saiu da gaiola. Salvo pequenas diferenças os presépios são tos iguais. O Menino deitado nas palhinhas da manjedoura sorri em barro. E penso para mim próprio que ele deve ser do Glorioso.

 ___________

 

NE - O textículo acima diz bem da categoria indesmentível e incontornável do autor: ele até é sprtnguista!!!...  

Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.12.2015 às 14:05

HenriquAmigo,

Antes que me vás bater à porta a pedir que te devolva as cartas que lá tenho amarradas com uma fita azul ( procurei por tudo quanto é canto e não encontrei nada ) apresso-me a vir até à tua nova Travessa.
Se a memória não me engana já te desejei as Boas Festas, mas vim na mesma!!
Da primeira parte desta tua bela crónica nem vou falar porque não me interesso pelo tema.
A seguir à imagem da posta do fiel amigo + as couves penca e os ovos - nunca vi um prato de Natal com 3 meios ovos , eu até nem ovos cozo, mas pronto, cada casa tem os seus hábitos - a coisa mudou de figura.
Adorei a tua 'simpática' referência aos convivas, chegados com os fedelhos à trela, mas achei que o teu amigo Chico com pouca pachorra para aturar as traquinices do puto mais velho.
Fiquei a saber- desnecessariamente - que a tua filha Becas vive com o Valentim, uma mistura de marido com namorado, e que todas as bebidas do antes, do depois e do durante a Ceia, foram todas do melhor que há no mercado vinícola.
Posto isto, resta-me desejar-vos boa continuação das Festas e pedir-te que, antes da abalada para terras estrangeiras, venhas até cá deixar-nos um "Até logo".

Com estima, deixo cá ficar - embrulhado em papel brilhante - um abraço para ti e um beijinho para a Dona Raquel!

Então? Portei-me bem?

Janita

Imagem de perfil

De Henrique Antunes Ferreira a 28.12.2015 às 19:25

Anónimajanitamiga

Ora viva comadri, vomecê portou-se maravilhosamente, de tal manêra quê cá até chorei de prazeri dalegria.

Nestas coisas de textículos natalinos há que ter muito cuidado senão ainda me aventam pela janela. Quando dizem que um home está morto apenas quer dizer que o gajo está chêo de malêtas.

Logo o herói da fita não sou eu, juro plas cinco chagas do Cristo e por isso nã respondo a provocações. Vomecê nã gosta de cabalhau tã gordo. E também de meios ovos:mas os intèros também têm de se cortar nã vá um camarada alambazar-se com um e os outros ficarão a ver navios.

O rapaz dono da casa está pensando em ir à do Chico, porque lhe parece que o Gordo lhe fanou uma botelha. Ca vida dele nã tem o home nada que vêri. E prontes fico-me por aqui. Obrigado.

Bêjs da Raquel e qêjs do Leãozão
Sem imagem de perfil

De Janita a 28.12.2015 às 21:50

HenriquAmigo

Já me fartei de riri!
Aprovêta agora q'andas bom da perna para ir, fugindo a muito, à do Chico ver onde pára a botelha de tequilla serrana.

Quando um tipo está doente
Logo dizem que está morto.
A todo o vau chamam porto
Chamam gajo a toda a gente
Vestir safões é corrente
Por acaso é por adrego,
Ao saco chamam talego
E, até nas classes mais ricas
Ser janota é ser maricas
Ser beirão é ser galego.

Muito eu gosto dos compadris Alentejanos!

Fiquem bem!!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.




Mais sobre mim

foto do autor


Comentários recentes


Favoritos


subscrever feeds